terça-feira, 23 de maio de 2017

GANHO SECUNDÁRIO

Tudo que sobe, desce ! E o que vai, volta. É a lei das consequências: “Tudo que for enviado, retorna para o emissário, na mesma dose, no endereço certo”.   



Você sabe o que é “ganho secundário”?
É a mola do comportamento humano,
É um gatilho certeiro, sem engano, e nada se faz nesta vida sem ganho imaginário.

Bom dia, boa tarde ou boa noite - são iscas para uma resposta do mesmo nível. Se não houver essa resposta imediata, abre-se uma lacuna de incompreensões.

A cordialidade e a gentileza são chaves que abrem um bom relacionamento interpessoal. Sem essa resposta imediata, imagina-se que se trata de uma pessoa mal-humorada, nervosa ou até mesmo agressiva. Esta pessoa pode estar trazendo na testa uma legenda invisível: “afaste-se de mim”.  Tudo porque procura-se um ganho secundário com essa simples saudação.

Mas o ganho secundário não fica nisso. As ações humanas têm um objetivo imediato e outro subjacente. Inconsciente ou subjacente, ele existe. Por isso, são dois objetivos que movem o comportamento humano. Uma viagem, uma compra ou uma venda de qualquer coisa, um passeio, um convite, uma discussão, uma briga, um namoro, um casamento, um divórcio, uma tristeza, uma depressão, um presente, um cartão, um parabéns, uma sentença judicial – e em quaisquer outras ações assemelhadas, existe, dentro delas, incorporado, um ganho secundário que somente  esse agente guarda secretamente.

Nada de neuroses. São comportamentos normais de todo ser humano. A neurose seria um modo próprio ou bizarro de ver e interpretar a realidade, dependendo da intensidade.  Essas idiossincrasias são apenas características pessoais.  Cada ser humano tem seu cheiro. Que seria da humanidade se todos tivessem a mesma percepção da realidade? Ou se todos pensassem da mesma forma? Antes de ser uma neurose é uma cor que se estende e embeleza o mundo. Nada de incutir sentimentos de culpa por esses transes. A vida é bela para todos, também por causa disso.

E tem mais... concluindo – “ninguém vai beber cicuta sem esperar um resultado, guardado secretamente, dentro de seu coração”. Ninguém vai se torturar gratuitamente.  

E quem não quer levar vantagem em tudo?  Claro que todos querem. Nas decisões, cada pessoa escolhe, deterministicamente, o melhor para si. Isto é simples, claro e cristalino, dentro da psicologia da normalidade. E quem vai escolher o pior para si? E nem o ”menos bom”, por assim dizer? Há contestação?


Você sabe o que é “ganho secundário”?
É a mola do comportamento humano,
É um gatilho certeiro, sem engano,
Nada se faz sem ganho imaginário.

E quem não quer levar vantagem em tudo?
Esta é a mais velha lei do benefício
Inconscientemente, um artifício,
E assim acontece, desejo mudo.

Quem der um “bom dia” com muito amor
Recebe o retorno, ganha emoção,
Agradece, alegrando o emissor.

E ninguém vai beber cicuta em vão!
Espera um resultado promissor,
Guardado dentro do seu coração.





Referências
- Seminários didáticos com Milton H. Erickson.Zeig, Jeffrey R. Psy II. São Paulo
- Sua voz está traindo você. Boone, Daniel R. Artes Médicas, 1996, Porto Alegre
- Comunicação Global. Ribeiro, Lair. Curso PNL, 2013   

segunda-feira, 15 de maio de 2017

PARÓQUIAIS- SÉRIE DE SONETOS

Paroquia é o território e a população que está subordinada eclesiasticamente a um pároco. Também se aplica como sinônimo freguesia. Utilizada desde as mais antigas origens do Cristianismo para designar uma comunidade cristã local.




Paroquiais dois sonetos entrelaçados. Incidentes não intencionais, claro, fazem humor sem ofensas a qualquer tipo de religião ou seita. Ninguém está impune de cair numa armadilha verbal em tocaia.


O BATIZADO

Um ricaço queria batizar
Seu cão vira-lata de estimação.
Mas o padre temia a excomunhão
Certo que o bispo iria contestar.

Mas a troco de uma paróquia linda
Tudo se consegue em plena harmonia,
Floresce a paróquia em plena alegria
E ajudava o ricaço mais ainda.

Um dia o bispo em visitação
Descobre o escândalo do batizado
O que pôs o padre em pura aflição.

Pelo bispo o ricaço foi chamado
Demonstrando rara admiração:
E quando o cãozinho será crismado? 

 

 

ANTICONCEPCIONAL

 Enfim o bispo liberou a pílula.
E para os padres fez palestra
Para confirmar que nada mais resta
Dessa proibição tão ridícula.

E a pílula anticoncepcional é
Mais uma das maravilhas do mundo,
Liberando as mulheres e foi fundo
Controlando a natalidade até.

Declarou a liberação total.
E quem tiver dúvida da premissa
Tudo posso responder afinal.

E um dos padres questionou com preguiça,
Cumpridor do dever paroquial:
                                        - Pra tomar antes ou depois da missa?

segunda-feira, 8 de maio de 2017

PAIXÃO - SÉRIE DE SONETOS

A paixão é capaz de alterar aspectos do comportamento e pensamento da pessoa. A impulsividade, o desespero e a inquietação são outras características que costumam estar associadas ao sentimento de paixão.


PAIXÃO  - dois sonetos bem casados, contornam sentimentos idos e havidos. A história da vida não é escrita em rascunho. Cada um cai no espinheiro que lhe aprouver. Se entra na fogueira, sai chamuscado.





UNIDOS PARA SEMPRE

Casamento é festa e muita alegria
Duas famílias, traço de união,
Com champanhe, luzes no coração,
Roupas novas, presentes, fidalguia.

Pelo momento solene do sim
E nas promessas de fidelidade
Salta dos lábios a sinceridade
Reina o amor pelos caminhos sem fim.

-Unidos estamos por toda a vida!
Disse a noiva em lua de mel à vista,
Vaticina feliz e comovida.

E o noivo sente o peso da conquista.
Abre o coração em contrapartida:
-Não estou eu assim tão pessimista.





PENSEI MELHOR

Senhor Comissário, estou aqui de novo,
Sempre buscando a sua proteção:
Minha mulher sumiu – que ingratidão!
Misturou-se pois no meio do povo.

Sofrimento demais com a sua ausência
Sozinho em casa fiquei a pensar
E de tanto pensar e soluçar
Julguei-me ficar em plena demência.

Suspenda os meus pedidos de procura
Já não tenho mais nem um só lamento
Ficar só me deu prazer nesta altura.

A vida aceita qualquer argumento
A água vai batendo na pedra e fura
Pensei melhor – eis o meu juramento

  

quarta-feira, 3 de maio de 2017

AS BURGUESAS - SÉRIE DE SONETOS

Soneto – velho formato do gênero lírico, tem suas palavras enjauladas. Não basta ser poeta. Tem que ser, antes de tudo, um artífice.

 

Estrutura rígida, desde Petrarca e Dante Alighieri. Sintético e objetivo. Sem enrolação. Nele cabem a paixão e o amor. Agora vem o humor e o rancor. As palavras foram feitas para rir ou para chorar. Soneto causa efeito retardado. Pensar e meditar.




A RAINHA

Dois cavalos brancos são atrelados
À rica carruagem da rainha.
No traslado tanta elegância tinha
Para, em pompas, solenes perfilados.

Num momento, um cavalo solta um gás,
O que fez a rainha enrubescer
Fato que não podia acontecer
E desgosto o acontecimento traz.

Logo, ao convidado a rainha vem,
Neste momento, desculpas pedir,
E com o leque o nariz tapa também.

E o convidado vem pronto acudir:
-Majestade! Pois fica tudo bem!
Julguei que fosse o cavalo, ao partir.




A CONDESSA

A condessa ficou compadecida
Quando ela viu da sua alta janela
De sua mansão, muito rica e bela,
Um pobre homem em fome desvairada.

Esse homem comia grama na praça
Com imenso furor dessa fome vinha
A grama seca que na praça tinha
Tanto comia!!! Era tudo de graça.

E a condessa ordenou ao sentinela
Que abrisse os portões e deixasse assim
Que esse homem entrasse, que a vida bela.

E tendo o coração em paz, enfim,
Sugeriu com voz suave e singela:
- Há grama mais verde no meu jardim.